O Arauto

Photobucket

terça-feira, dezembro 26, 2006

Se Capapinha diz...é mesmo verdade

O governador da província de Luanda, Job Castelo Capapinha, defendeu hoje o estabelecimento de um pacto com a população para que coopere no combate à anarquia e restabelecimento da ordem pública. Se é dito por Capapinha deve ser verdade.
Por Orlando Castro
Job Capapinha discursava na cerimónia de cumprimentos de fim de ano, assistida por membros do comité provincial do MPLA, oficiais superiores da polícia, membros do Conselho e da comissão executiva eleitoral, delegados e directores provinciais, administradores municipais, adjuntos e comunais, entre outros convidados.
Para o governador, a população deve participar na organização da cidade, denunciar a danificação de bens públicos, atitudes que forçam o governo a investir nas mesmas coisas. Se é dito por Capapinha deve ser verdade.
Falou da necessidade de maior cooperação com a forças da ordem para se identificarem e responsabilizar os que danificam bens públicos, como a iluminação pública, cabos eléctricos, chafarizes, demolição de muros e prejudicam a higiéne das paredes.
A criminalidade e delinquência têm aumentado, apesar do esforço da polícia, mas a população deve participar denunciando os malfeitores, para garantir a estabilidade política e social de meio. Se é dito por Capapinha deve ser verdade.
Espera para o ano 2007 organizar um certame, envolvendo as autoridades municipais e a sociedade civil para debater com frontalidade o problema da criminalidade e delinquência na capital, para devolver a tranquilidade e para protecção dos bens públicos.
Job Capapinha declarou que em 2007 continuará a melhorar a relação entre governantes e governados, regulando as actividades dos cidadãos, evitando contravenções a ordem e as normas instituídas, e elevando o respeito às autoridades.
Há consciência na necessidade de sobrevivência dos cidadãos, mas há que disciplinar o exercício de qualquer actividade para se organizar a cidade, indicando os locais de venda, explicando como proceder para construir casa própria ou realizar qualquer acção que incida sobre a cidade.
Afirmou que os servidores públicos devem ser exemplares para serem respeitados e aumentar a credibilidade do governo, porque, como disse, vai-se ganhar autoridade por aquilo que se for capaz de fazer pela população e por esta reconhecer os seus esforços. Se é dito por Capapinha deve ser verdade.Só não sei a razão que leva alguns homens ligados ao Poder, ou seja ao MPLA, a ficarem irados quando alguns de nós, caso do Jorge Eurico, escrevem estas (e também outras) verdades.

In Alto Hama

5 Comentários:

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial