O Arauto

Photobucket

sábado, outubro 13, 2007

Povo com «pastor» mas a quem tudo falta

Quando foi eleito para o cargo de Presidente da República, o povo acreditou religiosamente que, tal como diz o salmista no Livro dos Livros (Bíblia), Armando Guebuza seria o seu “pastor” e que nada lhe faltaria.
Passados mais de vinte e quatro meses, eis que o povo confirma frustrado, que nada lhe falta mesmo: crime, inépcia, inércia, corrupção, desorganização, mau uso e abuso do poder que, quando não redunda em prisão arbitrária ou assassinato, se traduz no espancamento de advogados (não tarda os agentes da PRM poderão ir às “fuças” do jornalistas, magistrados judiciais e do Ministério Público, deputados, professores universitários, etc., etc.) e a omnipresença do partido da situação em algumas, mas quase todas, as instituições do Estado, enquanto que a RENAMO, à excepção do seu porta-voz Fernando Mazanga, e a Comunidade Internacional continuam caladinhas!
O Moçambique de Armando Guebuza já garantiu uma página (ou várias) e está a escrever da pior forma o nome do País no próximo Relatório de Direitos Humanos do Departamento de Estado norte-americano e outras ONG’s versadas na fiscalização de Direitos Humanos no mundo.
As liberdades e harmonias conquistadas a 25 de Junho de 1975 no Moçambique de Samora Moisés Machel, consolidadas durante a vigência do consulado de Joaquim Chissano ao longo de dezoito anos, estão a esboroar-se desde que Armando Guebuza ocupou o palácio da Ponta Vermelha.
No meio deste clima de medo e insegurança que se vive em Maputo, há quem fale de um pequeno grupo de indefectíveis de Joaquim Chissano espalhados em algumas, mas quase todas as instituições do Estado com o fito de tramar Armando Guebuza.
Verdade ou não, o certo é corre célere em Maputo que o rebentamento do paiol a 26 de Março de 2007 foi resultante de um acto de sabotagem; consta que o incêndio que recentemente deflagrou no Ministério da Agricultura também foi um acto de sabotagem.
A ser verdade, quem está, afinal, a sabotar a vontade e o esforço de Armando Guebuza para construir um Moçambique melhor?

Etiquetas: , ,