O Arauto

Photobucket

segunda-feira, janeiro 22, 2007

3.500 desalojados pelas cheias no centro de Moçambique

Pelo menos 3.500 pessoas ficaram na província da Zambézia (centro) devido às cheias provocadas pelas chuvas intensas que ali têm caído nos últimos dias. As vítimas têm sido encaminhadas para cinco centros de acolhimento entretanto montados em escolas, adiantou hoje Paulo Zucula, director do Instituto Nacional de Gestão e Catástrofes (INGC).
A forte precipitação afectou também a capital da província, deixando muitas áreas de Quelimane submersas e levando ao corte de estradas e à interrupção do fornecimento de energia eléctrica por parte da Electricidade de Moçambique (EDM).
Na Barragem de Cahora Bassa algumas das comportas foram abertas reduzir o nível das águas. O INGC prometeu, entretanto, dar início a um programa de distribuição de alimentos e água potável às famílias desalojadas.
Em visita oficial ao Japão desde domingo, o Presidente moçambicano, Armando Guebuza, endereçou já uma mensagem de solidariedade ao Governador da província da Zambézia, Carvalho Muária.
"Temos plena certeza de que, apelando à sua auto- estima e com o apoio do Governo e de outras instituições e pessoas de bem, as vítimas desta calamidade saberão ultrapassar mais este drama de forma digna e íntegra, que as caracteriza, perante tragédias, infelizmente, recorrentes", escreve o Chefe de Estado moçambicano.
Salientanto que os meios à disposição das autoridades moçambicanas são, por enquanto, suficientes para enfrentar a situação, Paulo Zucula referiu que um pedido de ajuda externa pode vir a ser equacionado caso se verifique o agravamento da situação.


Fonte: Lusa