O Arauto

Photobucket

sexta-feira, junho 02, 2006

Discuta-se a mensagem e não o mensageiro

No dia 18 de Maio recebi e acedi a um convite (que muito me honrou) da Casa de Angola, em Lisboa, Portugal, para apresentar a minha mui modesta opinião e perspectivas sobre a Comunicação Social angolana.

Disse, perante uma augusta plateia composta por jovens e velhos (todos juntos, mas não misturados), que os jornais não públicos muito tem contribuído para a consolidação da democracia, mas que não se pode dizer o mesmo em relação à reconciliação nacional que se quer depois de o País ter vivido um longo período de guerra, cujas consequências trágicas são sobejamente por todos conhecidos.

Afirmei, por minha conta e risco, que os jornais não públicos (há quem prefira o termo privado) tem um papel mais interventivo que os partidos políticos na oposição e que por esta razão o partido no poder teme mais a Imprensa não pública e os jornalistas que os deputados ao Parlamento.

Declarei, alto e bom som, que, agora às portas das próximas eleições, o Governo angolano tem estado a ensaiar métodos para silenciar (ou prender) os fazedores de opinião e jornalista mais críticos, incluindo o uso da Imprensa pública para campanhas de difamação.

Expus a ideia de que é uma falácia do Governo propalar as ideias da
democracia e da reconciliação nacional se não se observar um sentido de responsabilidade os órgãos de Comunicação Social públicos no sentido de fazer com que o debate e a confrontação de ideias sejam, possíveis sem ofensa ou calúnia, violência física ou verbal.

Sublinhei que é necessário que tenhamos uma Comunicação social isenta porque a Liberdade de Opinião e de Imprensa são os esteios fundamentais do carácter democrático de um Estado e de uma sociedade.

Disse mais, é imperioso transformar a Imprensa sob tutela do Estado em instituições de serviço público de facto.

Terei dito, meus senhores, alguma inverdade? Então que se levante o primeiro e atire uma pedra!

6 Comentários:

  • Às 2:56 da tarde , Anonymous Anónimo disse...

    Em que area o dignissimo Senhor Doutor Jorge Eurico tem a sua formacao?
    Helga

     
  • Às 10:13 da tarde , Blogger ELCAlmeida disse...

    Não me parece que a área académica seja assim tão relevante; que se saiba é um estudante de Direito.
    Mas não será essa qualidade - e estou a escrever sem solicitar a utorização a Jorge Eurico, nem ele me passou qualquer credencial - que o fará ser mais ou menos observador da realidade político-social do país. Ele esteve lá na qualidade em que se tem distinguido: como jornalista.
    Estive por razões das minhas funções no mesmo auditório e apesar do orador não o aqui dizer, foram os mais jovens - a maioria já não vai a Angola há anos - que mais o "atacaram"; os kotas e os mais velhos não deixaram de apresentar as suas críticas mas reconhceram-lhe mérito na apresentação. E isso é o que mais interessa e releva.
    Força Jorge Eurico e prepare-se para muitas pedras atiradas não por aqueles que o critiquem frontal e educadamente, mesmo que essas críticas às vezes firam por injustas, mas pedregulhos atirados por cobardes que se coitam atrás do anonimato vil.
    Kandando
    Eugénio Almeida

     
  • Às 10:35 da tarde , Anonymous Anónimo disse...

    O Jorge Eurico foi um miúdo que apareceu no Jornalismo no começoda década de 90 e muito cedo, em Angola, começou a dar nas vistas com os seus trabalhos já polémicos na RNA

     
  • Às 3:33 da tarde , Anonymous antonio jesus silva disse...

    REVOLUÇÃO QUILOMBOLIVARIANA !
    A COMUNIDADE NEGRA AFRO-LATINA BRASILEIRA
    APOIA E É SOLIDARIA AO POVO PALESTINO.VIVA A PALESTINA!
    Viva! Chàvez! Viva Che!Viva! Simon Bolívar! Viva! Zumbi!
    Movimento Chàvista Brasileiro

    Manifesto em solidariedade, liberdade e desenvolvimento dos povos afro-ameríndio latinos, no dia 01 de maio dia do trabalhador foi lançado o manifesto da Revolução Quilombolivariana fruto de inúmeras discussões que questionavam a situação dos negros, índios da América Latina, que apesar de estarmos no 3º milênio em pleno avanço tecnológico, o nosso coletivo se encontra a margem e marginalizados de todos de todos os benefícios da sociedade capitalista euro-americano, que em pese que esse grupo de países a pirâmide do topo da sociedade mundial e que ditam o que e certo e o que é errado, determinando as linhas de comportamento dos povos comandando pelo imperialismo norte-americano, que decide quem é do bem e quem do mal, quem é aliado e quem é inimigo, sendo que essas diretrizes da colonização do 3º Mundo, Ásia, África e em nosso caso América Latina, tendo como exemplo o nosso Brasil, que alias é uma força de expressão, pois quem nos domina é a elite associada à elite mundial é de conhecimento que no Brasil que hoje nos temos mais de 30 bilionários, sendo que a alguns destes dessas fortunas foram formadas como um passe de mágica em menos de trinta anos, e até casos de em menos de 10 anos, sendo que algumas dessas fortunas vieram do tempo da escravidão, e outras pessoas que fugidas do nazismo que vieram para cá sem nada, e hoje são donos deste país, ocupando posições estratégicas na sociedade civil e pública, tomando para si todos os canais de comunicação uma das mais perversas mediáticas do Mundo. A exclusão dos negros e a usurpação das terras indígenas criaram-se mais e 100 milhões de brasileiros sendo estes afro-ameríndios descendentes vivendo num patamar de escravidão, vivendo no desemprego e no subemprego com um dos piores salários mínimos do Mundo, e milhões vivendo abaixo da linha de pobreza, sendo as maiores vitimas da violência social, o sucateamento da saúde publica e o péssimo sistema de ensino, onde milhões de alunos tem dificuldades de uma simples soma ou leitura, dando argumentos demagógicos de sustentação a vários políticos que o problema do Brasil e a educação, sendo que na realidade o problema do Brasil são as péssimas condições de vida das dezenas de milhões dos excluídos e alienados pelo sistema capitalista oligárquico que faz da elite do Brasil tão poderosa quantos as do 1º Mundo. É inadmissível o salário dos professores, dos assistentes de saúde, até mesmo da policia e os trabalhadores de uma forma geral, vemos o surrealismo de dezenas de salários pagos pelos sistemas de televisão Globo, SBT e outros aos seus artistas, jornalistas, apresentadores e diretores e etc.
    Manifesto da Revolução Quilombolivariana vem ocupar os nossos direito e anseios com os movimentos negros afro-ameríndios e simpatizantes para a grande tomada da conscientização que este país e os países irmãos não podem mais viver no inferno, sustentando o paraíso da elite dominante este manifesto Quilombolivariano é a unificação e redenção dos ideais do grande líder zumbi do Quilombo dos Palmares a 1º Republica feita por negros e índios iguais, sentimento este do grande líder libertador e construí dor Simon Bolívar que em sua luta de liberdade e justiça das Américas se tornou um mártir vivo dentro desses ideais e princípios vamos lutar pelos nossos direitos e resgatar a história dos nossos heróis mártires como Che Guevara, o Gigante Osvaldão líder da Guerrilha do Araguaia. São dezenas de histórias que o Imperialismo e Ditadura esconderam. Há mais de 160 anos houve o Massacre de Porongos os lanceiros negros da Farroupilha o que aconteceu com as mulheres da praça de 1º de maio? O que aconteceu com diversos povos indígenas da nossa América Latina, o que aconteceu com tantos homens e mulheres que foram martirizados, por desejarem liberdade e justiça? Existem muitas barreiras uma ocultas e outras declaradamente que nos excluem dos conhecimentos gerais infelizmente o negro brasileiro não conhece a riqueza cultural social de um irmão Colombiano, Uruguaio, Venezuelano, Argentino, Porto-Riquenho ou Cubano. Há uma presença física e espiritual em nossa história os mesmos que nos cerceiam de nossos valores são os mesmos que atacam os estadistas Hugo Chávez e Evo Morales Ayma,Rafael Correa, Fernando Lugo não admitem que esses lideres de origem nativa e afro-descendente busquem e tomem a autonomia para seus iguais, são esses mesmos que no discriminam e que nos oprime de nossa liberdade de nossas expressões que não seculares, e sim milenares. Neste 1º de maio de diversas capitais e centenas de cidades e milhares de pessoas em sua maioria jovem afro-ameríndio descendente e simpatizante leram o manifesto Revolução Quilombolivariana e bradaram Viva a,Viva Simon Bolívar Viva Zumbi, Viva Che, Viva Martin Luther King, Viva Osvaldão, Viva Mandela, Viva Chávez, Viva Evo Ayma, Viva a União dos Povos Latinos afro-ameríndios, Viva 1º de maio, Viva os Trabalhadores e Trabalhadoras dos Brasil e de todos os povos irmanados.
    O.N.N.QUILOMBO –FUNDAÇÃO 20/11/1970
    quilombonnq@bol.com.br

     
  • Às 7:41 da manhã , Blogger 小倩 yuan disse...

  • Às 7:41 da manhã , Blogger 小倩 yuan disse...

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial