O Arauto

Photobucket

quarta-feira, maio 31, 2006

Esmeralda Fernandes não é portadora do vírus da SIDA

Esmeralda Fernandes, apresentadora do programa televisivo “Arco Íris” da Televisão Pública de Angola (TPA), desmentiu em comunicado emitido hoje, quarta-feira, 31, a informação, posta a circular recentemente na Internet, segundo a qual seria portadora do vírus do VIH/SIDA e que estaria a disseminá-la no seio de políticos, altas patentes das Forças Armadas Angolanas (FAA) e da Polícia Nacional. A apresentadora da TPA diz estar a ser vítima de difamação criminosa na Internet. Eis na íntegra o comunicado:
“A Signatária, apresentadora do programa Arco-íris da TPA, vitima recente de um acto de difamação criminosa pela Internet, em defesa da sua honra e dignidade, vê-se na obrigação de utilizar esta via para publicamente esclarecer o seguinte:
1 - Não é nem nunca foi portadora do vírus HIV, como comprovam os exames clínicos realizados recentemente nas seguintes instituições:
1.1-Laboratório Dr. Joaquim Chaves, sito em Lisboa, realizado no dia 25.05.06, sob o processo nº4852452.
1.2-Hospital Militar de Luanda, realizado no dia 29.05.06, com o processo nº2020.
1.3-Clinica do Alvalade, em Luanda, realizado no dia 28.05.06, e com o processo nº61528.
1.3-Clinica da Mutamba, em Luanda, realizado no dia 28.05.06, e com o processo nº36354.
Os processos acima referidos encontram-se abertos á consulta de quem o desejar.
2 – Não tem a Signatária duvida alguma, que a sua auspiciosa carreira profissional, bem como a sua felicidade familiar e pessoal, serviram de motivação maliciosa, para se desferir o cobarde acto de difamação contra a sua pessoa. Assegura entretanto, que estes actos abomináveis em situação alguma a desviarão da luta pelos seus objectivos pessoais e colectivos.
3 - Lamentando profundamente que a Internet esteja a ser usada como fonte de inspiração criminosa, agradece-se a todos quantos possam contribuir para a clarificação deste caso, fornecendo informações que conduzam à identificação do(a) autor(a) da carta de índole criminosa, permitindo assim accionarem-se os mecanismos judiciais que conduzam o(a) criminoso(a) a prestação de contas com a justiça.
4 – A Signatária aproveita esta oportunidade para se solidarizar com todas as pessoas que tenham eventualmente contraído o vírus HIV, e que por esse facto sofram qualquer tipo de discriminação.

Agradeço a colaboração de todos, no sentido de reenviarem esta mensagem atraves da vossa lista de contactos, de modo a evitar que estes actos cobardes continuem a ter espaço no nosso país.

Atentamente

Luanda, 30 de Maio de 2006."

7 Comentários:

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial