O Arauto

Photobucket

segunda-feira, julho 10, 2006

Líbia ajuda a CPLP a ter dignidade

Cada vez “gosto” mais desta CPLP e, também cada vez mais, desse enorme baluarte da Comunidade de Países de Língua Portuguesa que dá pelo nome de… Líbia. Então não é que o lusófono Muamar Kadhafi disponibilizou 10 limusinas, com motorista, para apoiar os presidentes que vão participar na VI Cimeira de Chefes de Estado e de Governo CPLP, que decorre de 12 a 17 deste mês em Bissau? O futuro da Lusofonia está garantido.
Ao que parece, o Governo de Nino Vieira pediu ajuda a Tripoli porque o país está, em matéria de transportes como de tudo o resto, de tanga. A Líbia, velha amiga dos poucos guineenses que têm milhões, não se fez rogada e vai daí fez chegar a Bissau as viaturas que vão dar o ar de cimeira ao encontro.
A falta de meios de transporte "dignos" de chefes de Estado na Guiné-Bissau (sim, que para o povo qualquer coisa serve) ficou assim "ultrapassada". A CPLP já pode respirar de alívio. Os seus representantes estão bem servidos. Além disso nem vão ter necessidade de reparar que, ali ao lado, o povo morre de fome. Dias 12 e 13, o Palace Hotel, a nova unidade hoteleira de cinco estrelas de Bissau, receberá a XII Reunião Ordinária dos Pontos Focais de Cooperação dos "oito".
Inês Rosa, vogal do Conselho Directivo do instituto Português de Apoio ao Desenvolvimento (IPAD), e Ana Correia, técnica superior da Direcção dos Serviços dos Assuntos Comunitários e Multilaterais do Ministério dos Negócios Estrangeiros, representarão Portugal no encontro. Após serem definidos e acertados, os diferentes textos e projectos subirão à 94ª Reunião Ordinária do Comité de Concertação Permanente da CPLP, a realizar no sábado seguinte, dia 15, também no Palace Hotel.
O Comité, por sua vez, remeterá os textos e documentos à XI Reunião Ordinária do Conselho de Ministros, que os assinará na manhã de 17, dia da cimeira, para depois serem enviados para a VI Conferência de Chefes de Estado e de Governo, onde serão ratificados. Ainda no dia 17, a CPLP comemorará o seu 10º aniversário, havendo uma sessão solene no Parlamento guineense, com os trabalhos da cimeira a terminarem oficialmente com uma conferência de imprensa conjunta.
Digam lá que não parece mesmo uma coisa séria e de alto nível? Só parece, mas é quanto basta.
Dos sete presidentes dos Estados membros da CPLP convidados, apenas três confirmaram já à ida a Bissau - Pedro Pires (Cabo Verde), Armando Guebuza (Moçambique) e Fradique de Menezes (São Tomé e Príncipe), devendo, este último, ceder a presidência rotativa da organização ao anfitrião do evento, João Bernardo "Nino" Vieira. Os chefes de Estado português, Aníbal Cavaco Silva, angolano, José Eduardo dos Santos, e brasileiro, Luiz Inácio Lula da Silva, ainda não confirmaram a vinda, mas deverão fazê-lo em breve. Estavam só à espera de saber se a Líbia mandava ou não as limusinas… Presente igualmente na cimeira estará o presidente da Guiné Equatorial, Teodoro Obiang Nguema, cujo país deverá pedir aos "oito" a adesão à CPLP mas na qualidade de observador associado. Crê-se, digo eu, que os “oito” vão igualmente agradecer a Muamar Kadhafi de forma digna. Ou seja, convidando a Líbia a integrar a CPLP de modo a que Tripoli faça pela Lusofonia o que, de facto e de jure, os seus integrantes deviam fazer.

Crónica do Jornalista Orlando Castro publicada no Notícias Lusófonas

2 Comentários:

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial